Home Fenômenos Naturais A matéria normal e a matéria e energia escura do Universo
A matéria normal e a matéria e energia escura do Universo PDF Imprimir E-mail
Qui, 26 de Março de 2015 09:03

A idéia de átomo proposta pelo gregos antigos (Demócrito) para partícula indivisível evoluiu com vários modelos (...., Bohr, Rutherford) até chegar nos modelos atuais. Os cientistas aceitam atualmente que tudo que existe de descoberto até agora é formado de 12 partículas com massa, 4 de energia pura e o bóson de Higgs. Especificamente são 6 léptons (elétron, múor, tau e três tipos de neutrinos), 6 quarks que formam os hádrons (próton e nêutron seria exemplos), as de energia pura (fótons, glúor e os bósons W e Z) e o bóson de Higgs, que segundo os físicos foi descoberto em 2013 pelo HLC do Projeto Cern. O bóson de Higgs teria a função de dá massa as partículas de energia pura para convertê-las nas que teria massa. A relação entre elas  formaria o Modelo Padrão. Com tudo isso supostamente descoberto, essas 17 partículas que forma a matéria normal seria apenas 5,4% da soma entre matéria (30%) e energia (70%). Para os cientistas, para o universo funcionar em harmonia, teria que ter 30% de matéria (destes, no momento, 18% conhecido e 82% desconhecido onde seria esta última a matéria escura) e 70% de energia. Do total entre matéria e energia, conhece-se apenas 5,4% que formaria a matéria normal. Os físicos também nada conhecem, no momento, sobre os 70% de energia que eles chamam de escura. A energia que se dispõe  na atualidade seria decorrente da dualidade matéria-energia referente as 17  já descobertas. O LHC tenta recriar partículas com massa fazendo prótons colidirem a velocidade de 1.000.0000.000 km/h para se transformarem em  energia por alguns segundos e depois formar novas partículas com massa. Eles têm a esperança de encontrar também a matéria escura nestes choques. Este estado seria, segundo eles, idêntico ao que teria ocorrido em instantes antes do Big Bang, a bilhões de anos.

Nilson